Liderança Verde  

07/06/2018 - Dia 5 de junho, dia do Meio Ambiente! O Brasil tem o que comemorar e São Paulo ainda mais! Temos a matriz energética mais limpa do planeta, nossa agricultura tem práticas sustentáveis, nossa legislação de proteção ambiental é vasta e detalhada, uma das mais rigorosas do mundo.

Sempre há o que avançar, não se pode ignorar o imenso desafio do saneamento básico, as condições de habitações especialmente nas grandes cidades, há uma cultura de desperdício e uma postura individualista que ignora o senso coletivo pela preservação.

Como deputado federal, fico muito satisfeito por oferecer contribuições que se somam a tantas ações nessa direção. São mudanças legislativas, marcos regulatórios, trabalhos por vezes pontuais, mas todos eles estratégicos, pois começam no papel a redesenhar um futuro mais sustentável para o Brasil.

Entre eles cito com orgulho a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), promulgada há quase oito anos. Tive o privilégio de presidir como deputado federal o grupo de trabalho que elaborou essa legislação, com instrumentos modernos para que o Brasil avance no manejo do lixo. Ela traz metas para eliminação de lixões e é balizada por ações como reciclagem, reutilização dos resíduos sólidos e destinação ambientalmente adequada de rejeitos.

Outra ação de forte impacto é o programa RenovaBio que, com suas metas fixadas pelo Conselho de Política Energética exatamente no dia 05 de junho, ampliará de 30 bilhões de litros para 50 bilhões de litros por safra a produção de etanol, substituindo até 55% do uso da gasolina e até 20% do diesel fóssil pelo biodiesel. Isso reduz substancialmente a emissão de CO2. Fui e sou um grande defensor do programa do governo federal, pois acredito que a partir dele podemos constituir uma legislação que estabeleça políticas públicas de médio prazo de incentivo à produção e uso dos biocombustíveis.

Muitas dessas ações de metas ambientais trazem uma inegável e positiva consequência econômica. Temos que ser inteligentes para nos valer delas também. Estimativas apontam que no continente americano as práticas sustentáveis têm potencial de gerar 3 milhões de vagas, enquanto na Ásia e Pacífico podem surgir 14 milhões. Já na Europa, a previsão é de 2 milhões de empregos criados.

No caso do RenovaBio, são esperados até 2030 investimentos de R$ 500 bilhões. Isso trará como benefício a geração de mais de 1 milhão de novos empregos e mudanças significativas para os 1.600 municípios brasileiros que cultivam a cana-de-açúcar. É a economia verde em ação!

É preciso lembrar ainda que o Brasil é um player dos mais importantes quando o assunto é meio ambiente. Somos o responsável pela gestão do maior patrimônio de biodiversidade do mundo, sendo que nossa flora reúne mais de 46 mil espécies.

Temos também 13% da água superficial doce de todo o planeta, em função de possuirmos a terceira maior reserva de água potável do mundo, o Aquífero Guarani. Apostamos em uma matriz energética em que as fontes renováveis ocupam um percentual muito maior que no restante do mundo: 43,5% diante de 15%.

Zelar por este patrimônio é nossa responsabilidade. Gerir com cautela, colocando os interesses nacionais e da população como prioridade, pode ser também uma grande oportunidade. Festejemos, portanto, o Dia do Meio Ambiente. São diversos os desafios, mas também contabilizamos conquistas.

O Brasil poderá liderar o mundo no rumo da Nova Economia ou Economia de baixo carbono ou Economia Verde, vamos adiante!

Arnaldo Jardim - Deputado federal
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Imprimir