UDOP prestigia posse de Sebastião Barbosa, novo presidente da Embrapa  
Sebastião Barbosa, novo presidente da Embrapa

10/10/2018 - A Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, realiza nesta quarta-feira (10) a solenidade de posse do novo presidente. O presidente eleito, Sebastião Barbosa, é pesquisador aposentado da Embrapa e será empossado pelo presidente da República, Michel Temer, no Salão Nobre do Palácio do Planalto. A UDOP prestigia o momento através da presença de seu presidente executivo, Antonio Cesar Salibe.

Para Salibe o papel da Embrapa é de suma importância para alçarmos a agricultura de forma geral a um novo patamar. "Especificamente na cadeia da cana-de-açúcar vemos uma sinergia sem precedentes no papel preponderante que a Embrapa deve exercer no fomento de pesquisas que envolvam todo o setor da bioenergia, por isso, já há alguns anos, a UDOP e a Embrapa possuem uma parceria de incentivo mútuo na área de inovação", destacou o presidente executivo da UDOP.

Fruto desta parceria, a Embrapa terá uma sala temática exclusiva durante o Seminário UDOP de Inovação que a entidade realiza nos dias 7 e 8 de novembro, em Araçatuba/SP, com a divulgação de resultados conclusivos de pesquisas realizadas pela Embrapa. Dentre os temas que serão abordados na sala da Embrapa do Seminário estão: "Estratégias para mensuração dos impactos ambientais do setor sucroenergético: as ações sustentáveis como medidas para melhoria do desempenho"; "Caminhos para a descarbonização da agricultura: Tecnologias para o setor sucroenergético"; "Novos rumos para a expansão agrícola do setor sucroenergético" e "Os desafios, perspectivas e oportunidades para inovação da produção agrícola", além do debate: "A inovação como modelo integrado do aumento de produtividade".

Veja mais sobre o Seminário UDOP de Inovação clicando aqui.


O novo presidente

De acordo com a Embrapa, Sebastião Barbosa, é engenheiro agrônomo, especialista em Entomologia (estudo dos insetos) e foi contratado pela Embrapa em 1976, atuando em programas de controle e erradicação de pragas. Por 17 anos também trabalhou na Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), no Serviço de Proteção de Plantas, em Roma, Itália; e no escritório para a América Latina e o Caribe, em Santiago, Chile - nesse período manteve-se licenciado sem receber rendimentos da Empresa. Foi também coordenador de cooperação internacional da Embrapa e Chefe-Geral da Embrapa Algodão, centro de pesquisa localizado em Campina Grande, na Paraíba, além de outras atividades exercidas na estatal.

Barbosa defende que a Embrapa precisará ser criativa para buscar recursos suplementares e complementares na iniciativa privada e em instituições internacionais. "Para esses desafios, espero contar com mais comprometimento, dedicação e esforço de todos os empregados, que já mostraram ter experiência, conhecimento e vivência com o setor privado, na grande revolução que ajudamos a construir na agricultura brasileira", finalizou.

Rafaela Giomo
Com informações da Embrapa
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Imprimir