Quarta-feira, 18 de outubro de 2017
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Combustíveis Fósseis Aumentar a letra    Diminuir a letra
Brasil pode ter mais de um leilão para vender excedente da cessão onerosa  

09/10/2017 - O governo pode vender em mais de um leilão o direito de exploração do excedente da cessão onerosa, como ficou conhecido um contrato entre a União e a Petrobras para a exploração de 5 bilhões de barris do óleo equivalente sem licitação, disse nesta segunda-feira o secretário de petróleo e gás do Ministério de Minas e Energia, Márcio Félix.

Ele afirmou que as projeções apontam que a região que a Petrobras irá explorar na cessão onerosa teria ainda um volume excedente de 5 a 10 bilhões de barris além do cedido à estatal, que poderia ser oferecido a investidores em mais de um leilão, devido aos volumes expressivos estimados.

"O excedente da cessão onerosa pode ser feito em fases...pode ter mais de um leilão. O primeiro queremos fazer em 2018, e os demais em anos seguintes. Dividir os leilões é uma possibilidade. Há interesse grande do mercado", disse Félix a jornalistas, após participar de evento da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) no Rio de Janeiro.

Ele ressaltou, no entanto, que uma decisão sobre os leilões é de competência do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), um colegiado formado por autoridades do governo.

Para o secretário de Petróleo e Gás, o fundamental no momento é o governo fechar as negociações sobre a atualização do contrato da cessão onerosa com a Petrobras, de forma a viabilizar o primeiro certame da cessão onerosa em 2018.


Longa negociação


Nos últimos anos, governo e Petrobras vêm discutindo a atualização do contrato da cessão onerosa, firmado em 2010, que deu direito à petroleira de explorar 5 bilhões de barris de petróleo em troca do aumento da participação da União no capital da empresa.

O secretário Félix revelou que o ministério tem promovido reuniões semanais com a Petrobras em busca de um consenso. A empresa será credora na negociação, conforme já revelaram integrantes do governo, mas o valor desse crédito é o motivo da demora na solução do impasse.

Segundo Félix, o contrato da cessão onerosa aponta que seus termos deveriam ser atualizados após a declaração de comercialidade da área. Só que houve seis declarações desse tipo entre o fim de 2013 e o final de 2014. Nesse período, o barril sofreu forte movimento de baixa.

"A questão é: qual o valor do barril de referência? Se você escolhe a primeira declaração o valor é um, e quando se escolhe a última o valor é outro", frisou ele. "O `timing´ é o `X `da questão, porque isso mexe no valor significativamente. A diferença é significativa", disse.

O secretário acrescentou que o governo pretende fazer nos anos de 2020 e 2021 dois leilões anuais de petróleo, sendo um no regime de partilha de produção e outro no sistema de concessão.

"Para 2020 e 2021 queremos fazer dois leilões. Se vier um novo governo, ele pode mudar isso, mas a proteção é o resultado que os leilões vão trazer", disse.

O mandato do presidente Michel Temer vai até o final de 2018, e em outubro do ano que vem haverá eleições para definir o presidente que assumirá o país a partir de 2019.

Rodrigo Viga Gaier
Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
18/10/17 - MME enquadra projeto da Energisa MS como prioritário
  - Petróleo fecha estável na expectativa do aumento de produção nos EUA
  - Bioenergia será estratégica para a economia sustentável
  - Aneel aprova reajuste médio de quase 15% em tarifas da Celg-D, em Goiás
  - Consumo de etanol em Minas Gerais está em equilíbrio com produção, diz associação
  - Produção da Petrobras no Brasil sobe 2,8% em setembro ante agosto
  - Petróleo segue em alta com divulgação de dados sobre estoques dos EUA
  - Reservatórios do Norte operam com 25,2% da capacidade
  - Não se pode ter projeto para o Brasil sem o agronegócio, diz Alckmin
  - Petróleo opera em alta, após dados do API e com Oriente Médio ainda no radar
  - Petrobras anuncia queda de 0,50% no preço da gasolina e alta de 0,20% no preço do diesel
  - Produção total de petróleo e gás da Petrobras sobe 2,57% em setembro
  - Entrada de dólares supera saída em US$ 7,940 bi no ano até 13 de outubro, diz BC
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Brasil pode ter mais de um leilão para vender excedente da cessão onerosa
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
Se não consegue ler a palavra, clique aqui.
Digite a palavra:
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/