Sexta-feira, 17 de agosto de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Energia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Queda de liminar reduz significativamente "rombo" no mercado de energia, diz CCEE  

14/02/2018 - A queda nesta semana de uma liminar que protegia um grupo de investidores em geração de perdas relacionadas ao chamado "risco hidrológico" reduzirá significativamente os valores que têm ficado em aberto nas liquidações financeiras de operações do mercado de eletricidade, disse à Reuters o chefe da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), Rui Altieri.

Diversos operadores de hidrelétricas vinham acionando a Justiça desde meados de 2015 devido à redução do faturamento das usinas em meio a anos consecutivos de chuvas abaixo da média, conseguindo liminares que os isentavam de débitos relacionados ao problema.

Mas a União e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reverteram uma liminar que favorecia empresas ligadas à Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia (Apine), que representa um grande grupo de investidores.

Na liquidação financeira do mercado realizada nesta semana pela CCEE, referente a dezembro, 6 bilhões de reais não foram pagos por agentes devido a decisões judiciais, um valor que pode cair fortemente na próxima liquidação se ela já levar em conta a vitória do governo nos tribunais.

"Essa era a principal liminar. Não dá para dizer (o quanto impacta a liquidação), mas é expressivo. Eu acredito que seja mais da metade (dos valores em aberto), mas é bom aguardar para ter um número mais preciso", disse Altieri à Reuters.

"Se nós implementarmos a decisão, o mercado vai ser bastante impactado positivamente. Não vai estar normalizado porque tem outras liminares vigentes, mas era a maior de todas, é um impacto muito grande", adicionou.

Com o novo cenário, existe ainda uma expectativa de que as liminares que favorecem outras empresas também possam ser derrubadas, devido à jurisprudência aberta pela vitória do governo e da Aneel no Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Com o caminho limpo das decisões, as elétricas precisarão quitar os débitos acumulados desde que obtiveram a proteção judicial. Parte das empresas tem feito provisões dos valores envolvidos na disputa, mas há uma expecativa de que alguns agentes possam precisar pedir um parcelamento.

Questionado sobre a possibilidade, Altieri disse que a CCEE não foi procurada com solicitações de parcelamento, mas ressaltou que decisões nesse sentido serão tomadas pela Aneel.


Proposta de acordo

Além disso, o governo federal publicou nesta sexta-feira a minuta de um projeto de lei que propõe uma reforma no setor elétrico que inclui uma proposta de acordo para que as empresas retirem suas ações judiciais que discutem as perdas com o risco hidrológico.

A proposta prevê oferecer uma extensão das concessões das hidrelétricas das empresas envolvidas por até sete anos como compensação por parte das perdas de faturamento que elas enfrentaram desde 2013 devido ao risco hidrológico.

O cálculo do tempo extra de concessão a ser oferecido levará em conta um direito de compensação apenas por fatores que o governo avalia que não podem ser associados à hidrologia e à situação dos reservatórios das usinas --como impactos no faturamento das hidrelétricas pelo atraso na conclusão de linhas de transmissão, por exemplo.

09/02/18
Luciano Costa

Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
16/08/18 - Setor produtivo solicita novos ajustes no Plano Safra
  - Ibovespa avança com melhora externa; Eletrobras sobe 7%
  - Previsão de déficit primário do governo central cai para R$ 148,171 bi
  - Preço da gasolina atinge o maior nível em quase um mês
  - Dólar cai com sinais de negociações entre EUA e China e alívio com Turquia
  - Níveis no Sudeste/Centro-Oeste recuam e ficam em 31,8%
  - Níveis caem 0,7% no Sul e reservatórios operam com 41,4%
  - Produção de energia de junho contou com 88% de fontes renováveis
15/08/18 - Comercializadoras de energia expandem negócios em meio a bom momento no setor
14/08/18 - Onda de calor faz China registrar em julho maior produção de energia em anos
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Queda de liminar reduz significativamente "rombo" no mercado de energia, diz CCEE
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/