Terça-feira, 14 de agosto de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Inflação acelera em abril para 0,22% com remédio e plano de saúde mais caros  

11/05/2018 - O reajuste nos preços dos remédios pressionou a inflação oficial brasileira em abril, elevando o índice para 0,22%, ante 0,09% no mês anterior.

Ainda assim, a inflação permanece nos patamares mais baixos desde o início do Plano Real, considerando o acumulado no ano ou em 12 meses.

Como resultado do reajuste anual vigente desde 31 de março, os preços dos remédios subiram 1,52% e contribuíram com metade da inflação de abril, informou nesta quinta-feira (10) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O grupo Saúde teve alta de 0,91%, também pressionado por aumento no custo do plano de saúde.

Outros grupos que contribuíram para a inflação foram Vestuário (0,62%), puxado por preços maiores de roupas femininas, e Habitação (0,17%), por causa do preço da energia, impulsionado por reajustes na conta de luz no Rio e em Porto Alegre.

Com alta de 0,09%, os alimentos permanecem em patamares baixos em relação a anos anteriores, contribuindo para manter a inflação acumulada abaixo do piso da meta do governo. Foi a menor variação para o mês desde 2007, quando o aumento foi de 0,03%.

Em abril, os maiores aumentos foram verificados na cebola (19,55%), hortaliças (6,46%) e leite longa vida (4,94%), refletindo o fim do período chuvoso.

"Repetindo uma boa safra como a do ano passado, os alimentos vão contribuir para segurar o custo de vida das famílias", disse o gerente da pesquisa, Fernando Gonçalves.

Já a alimentação fora de casa registrou queda de 0,22%, resultado de promoções e realinhamento de preços de restaurantes diante da baixa demanda provocada pela crise econômica, disse Gonçalves.


Meta

A inflação acumulada em 2018 é de 0,92%, o menor patamar desde 1994. Em 12 meses, soma 2,76%, também o menor índice desde o início do Real.

É o décimo mês consecutivo em que esse indicador fica abaixo de 3%, o piso da meta estabelecida pelo governo —que é de 4,5% com tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Em 2017, a inflação foi de 2,97% e ficou abaixo do piso da meta pela primeira vez na história, o que gerou a necessidade de justificativa pelo Banco Central. Em carta ao Ministério da Fazenda, a instituição citou o preço dos alimentos como causa para o descumprimento da meta.

O último relatório Focus , do Banco Central, mostra que o mercado espera que o IPCA feche o ano em 3,49%. Na ata da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), o BC projeta 3,8%.

Em maio, diz o IBGE, a inflação pode ter impactos de aumento no preço da energia, com a adoção da bandeira amarela na conta de luz e reajustes em cidades como Porto Alegre, Fortaleza e Salvador. Além disso, a escalada do câmbio pode ser refletir nos preços de combustíveis e de produtos importados.


INPC

O INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) também está no patamar mais baixo desde o Plano Real, segundo o IBGE, considerando o acumulado do ano: 0,69%. Em abril, o INPC foi de 0,21%.

10/05/18
Nicola Pamplona

Fonte: Folha de S. Paulo
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
13/08/18 - Governo está pronto para agir em caso de excesso de volatilidade nos mercados, diz fonte do
  ministério da Fazenda
  - Balança comercial tem déficit de US$ 277 milhões na segunda semana de agosto
  - Tabelamento do frete impõe queda às exportações do agronegócio do RS
  - Ibovespa ensaia melhora com NY e exportadoras, mas Turquia e eleições endossam cautela
  - Seca e subsídios fazem conta de luz subir quatro vezes mais que a inflação no ano
  - Níveis diminuem no Nordeste e reservatórios operam abaixo de 34%
  - Furnas deve investir 5 bilhões em energia eólica
10/08/18 - "Temos de repensar o setor petroquímico", diz Ivan Monteiro
  - Apesar de inflação baixa, energia e combustíveis pesam no custo de vida
  - Níveis caem 0,8% no Norte e reservatórios operam abaixo de 64%
09/08/18 - Cosan tem prejuízo no 2º tri, com impactos de protestos de caminhoneiros
  - CCEE: Indústria aumenta consumo de energia após greve dos caminhoneiros
  - Análise: Acordo de 2015 sobre risco hidrológico em energia já custa bilhões ao consumidor
30/07/18 - PA tem o etanol mais barato da Região Norte
26/07/18 - Esgoto da Sabesp vai virar combustível
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Inflação acelera em abril para 0,22% com remédio e plano de saúde mais caros
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/