Sexta-feira, 21 de setembro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Soja: Preços no Brasil são sustentados pelo dólar e prêmios, mas fretes ainda travam fluxo  

05/07/2018 - Sem a referência dos preços da soja negociados na Bolsa de Chicago, os preços da soja no mercado brasileiro também não apresentaram grandes modificações nesta quarta-feira (4). Com o feriado do Independence Day nos EUA, o mercado internacional não funcionou e os negócios serão retomados nesta quinta (5).

Assim, das praças pesquisadas pelo Notícias Agrícolas, apenas algumas delas registraram variações, como foi o caso da baixa de 0,14% em São Gabriel do Oeste, em Mato Grosso do Sul, para R$ 69,90 por saca ou de 1,38% em Brasília, onde a referência foi a R$ 71,50.

Nos portos, os preços permaneceram estáveis. Em Paranaguá, a soja disponível conseguiu manter os R$ 89,00 por saca e, em Rio Grande, R$ 86,00. Ainda no terminal paranaense, R$ 81,00 para março/19 e, no gaúcho, R$ 87,50 para agosto deste ano.

Como explicou o analista de mercado Luiz Fernando Gutierrez, da agência Safras & Mercado, o que ainda cria um importante colchão para os preços da soja brasileira é a combinação do dólar e dos prêmios bastante elevados. "O mercado está aproveitando esse momento e deve mesmo aproveitar com esses dois fatores favoráveis", diz.

Entre os prêmios, os valores seguem superando os US$ 2,00 por bushel sobre os preços praticados em Chicago nas principais posições de entrega nos terminais brasileiras, não só compensando os baixos e preocupantes patamares do mercado internacional, mas reforçando também a demanda intensa pela soja brasileira.

A guerra comercial entre China e Estados Unidos continua e as tensões estão cada vez maiores, com a proximidade do início da validade das tarifações de Donald Trump sobre parte dos produtos americanos, o que faz os compradores da nação asiática buscarem alternativas e migrarem para outros fornecedores.

"Há um deslocamento da demanda chinesa para os portos brasileiros e isso também favorece os prêmios", diz Gutierrez.

Sobre o dólar, a moeda americana fechou mais um dia em campo positivo e cotada a R$ 3,9130. Em um pregão mais fraco, também em função da falta da referência internacional, os investidores optaram por manter alguma cautela, evitando a tomada de posições mais intensas.

"Faltam motivos para uma rodada de mau humor, mas também não há força para o contrário", afirmou o operador da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado à Reuters.

Na contramão desses fatores positivos, porém, um desacordo sobre a questão dos fretes mantém o fluxo de negócios ainda bem abaixo do comum para a época, ainda como explica o analista da Safras. Inclusive, para garantir os embarques de navios com entregar mais próximas, inclusive, foram usados os estoques de portos que os obtinham para garantir essa oferta. E foi isso, segundo o executivo, um dos mecanismos que ajudou a manter o ritmo dos embarques brasileiros.

Além disso, as necessidades dos vendedores também começam a ficar mais evidentes, precisando voltar ao mercado para escoar sua safra, o que também ajudou a melhorar o fluxo dos negócios. E o movimento se torna mais necessário também não só para o produto disponível, mas também para que possa aproveitar os bons preços que a safra nova tem oferecido nos últimos dias.

Foi aprovada nesta quarta-feira (4) a Medida Provisória 832 que estabelece o preço mínimo para o frete rodoviário na comissão especial que fazia sua análise com o parecer do deputado federal Osmar Terra (MDB-RS). Agora, a MP segue para o plenário da Câmara dos Deputados.


Bolsa de Chicago

Os negócios na Bolsa de Chicago serão retomado nesta quinta-feira e o mercado está ansioso por novas informações sobre, principalmente, a disputa comercial entre chineses e americanos, que podem não chegar. Os dois países ainda não chegaram a um acordo e os desdobramentos dessa guerra podem ser ainda mais severos do que os já observados.

"Esse tem sido um fator forte e o principal para o mercado nesse momento. E, por isso, nem tem dado tanta bola para a nova safra americana neste momento", diz Luiz Fernando Gutierrez.

04/07/18
Carla Mendes

Fonte: Notícias Agrícolas
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
21/09/18 - Guardia: tabelamento do frete não é sustentável e deve ser revisto
  - Dólar reverte trajetória e cai para R$4,03 com cena eleitoral
  - Energia elétrica sobe 0,34% no IPCA-15 de setembro, mostra IBGE
  - ONS eleva ligeiramente projeções de carga de energia e chuva em hidrelétricas
  - Ibovespa avança 1,8% com atenções voltadas a exterior e cena eleitoral
  - Soja: AgroRural eleva previsão de área de sojo do Brail em 2018/19 para 35,8 mi de ha
  - Soja barata dos EUA atrai compradores chineses apesar de guerra comercial
  - Soja segue pressionada em Chicago e, ao lado do dólar, pesa sobre os preços no Brasil
  - Prêmios para soja da safra nova estão subestimados; negócios travados
  - Plantio da safra 2018/19 de milho na Argentina atinge 5,4% da área
  - Soja: Vazio sanitário em Goiás permanece até 30 de setembro
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Soja: Preços no Brasil são sustentados pelo dólar e prêmios, mas fretes ainda travam fluxo
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/