Quinta-feira, 21 de maro de 2019
:
EDITORIAS
Agncia UDOP | Acar | Biodiesel | Cana-de-Acar | Combustveis Fsseis | Diversas | Economia
Energia | Espao Datagro | Etanol | Frum de Articulistas | Opinio | TV UDOP | ltimas Notcias
Opinio Aumentar a letra    Diminuir a letra
A agricultura puxa a queda da inflao  

16/04/2018 - A inflao no para de surpreender. Fechamos o ano passado com um nmero inferior a 3%, que vem se mantendo at agora. O IPCA de maro atingiu 2,68% em doze meses, o menor nvel para o ms desde o Plano Real. Embora outros grupos tambm tenham desacelerado (como os servios subjacentes, que so aqueles nos quais o mercado pouco regulado e os preos flutuam livres), inequvoco que os preos agrcolas puxaram, de fato, a inflao para baixo.

Desde a grande safra colhida em 2016, o custo de alimentao caiu vertiginosamente, vindo de mais de 14% base ano (fruto do fenmeno climtico do El Nio) por volta de agosto daquele ano para o territrio negativo ao final de 2017, onde se mantm at hoje. Embora um pouco menor do que a do ano passado, a safra de vero que estamos colhendo bastante boa.

A queda no custo de alimentao no casual, nem recente.

H alguns anos, Juarez Rizzieri, Alexandre Mendona de Barros e eu construmos um ndice de preos de uma cesta de vinte produtos (leite, ovos, carnes, acar, leos, cereais, tubrculos, verduras e frutas) para o varejo da cidade de So Paulo, tendo como base as coletas semanais de preos realizadas pela Fipe. A srie comea em dezembro de 1974 e foi atualizada agora at o ms de fevereiro do corrente, cobrindo pois, 43 anos. Calculamos tambm dois subperodos, tendo o Plano Real como divisor, dado que ali a superinflao foi quebrada.

Os resultados so impressionantes. Durante 43 anos os preos relativos de alimentos caram nada menos que 3,5% ao ano!!!

A comida no Brasil ficou relativamente barata e a ingesto alimentar da populao se elevou muito, com exceo de certos grupos de risco.

A queda no preo de alimentos, na realidade, foi a causa inicial e mais relevante da melhora do poder de compra dos salrios mais baixos da economia brasileira. O Bolsa Famlia algo posterior.

O Pas tem, certamente, problemas na distribuio de renda, mas no os tem na oferta de alimentos. Ao contrrio, a queda no custo da comida eleva bastante a renda real da populao e o seu poder de compra em termos de outros bens e servios.

Alimentar bem mais de 200 milhes de pessoas a maior contribuio do agronegcio para o desenvolvimento do pas, pois isso foi realizado mesmo elevando-se de forma significativa as exportaes do setor para o resto do mundo.

A queda nos preos de alimentos foi muito forte na fase da inflao elevada. Entre dezembro de 1974 e dezembro de 1995, nossa cesta de alimentos caiu nada menos que 4,7% ao ano.

Trs razes so aqui relevantes: a consolidao do pacote tecnolgico que permitiu a abertura do cerrado e uma elevao da produo, com fortes altas na produtividade. Em segundo lugar, o sistema de distribuio at os supermercados se ampliou significativamente. Finalmente, a abertura econmica e a reduo de intervenes pblicas na produo agrcola (notadamente a liberalizao de preos de caf, acar e leite) complementaram as caractersticas mais relevantes para a formao de um modelo no setor.

Este caracterizado pela competio nos mercados internacionais e livre concorrncia nos mercados de bens, associadas absoro de tecnologias que levam a persistentes melhoras na produtividade. Os riscos e os retornos da inovao e mudana tcnica esto no centro do modelo de negcios do segmento. O resultado uma elevao contnua da produo, cujos frutos so em boa parte repassados para o consumidor sob a forma de baixa de preos, dada a existncia de mercados competitivos.

No perodo ps real, as quedas no custo da alimentao prosseguiram, embora a taxas mais modestas, consistentes com a menor inflao. Nos 22 anos, de dezembro de 1995 a fevereiro de 2018 a cesta de bens alimentcios caiu mais 0,7% ao ano

A recuperao das perdas por clima em 2016, resultou na perna final desta longa trajetria.

Duas concluses se impem: a queda da inflao resulta de um processo que vai bem alm da grande recesso e, desde que certas reformas sejam feitas podem compor um novo quadro de inflao baixa.

Por outro lado, inevitvel uma outra pergunta: por que o grosso da nossa indstria no foi capaz de construir um semelhante caminho?

15/04/18
Jos Roberto Mendona de Barros - Economista e Juarez Rizzieri - Professor Doutor da FEA/USP

Fonte: O Estado de S. Paulo
Os artigos assinados so de responsabilidade de seus autores, no representando,
necessariamente, a opinio e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notcias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notcias Relacionadas
21/03/19 - Acar mantm queda nos mercados externo e interno
  - Exportaes do complexo soja de Santa Catarina crescem 152% em fevereiro
  - El Nio fraco ter pouco impacto sobre as culturas de inverno no RS
  - Milho/MS: chuvas favorecem germinao e crescimento das plantas, diz Semagro
20/03/19 - Trading de acar Alvean nomeia Paulo Roberto de Souza como novo CEO
  - Siamig leva projetos de expanso do setor sucroenergtico ao governo estadual
  - Preos do acar recuam com ajustes tcnicos
  - Soja/SC: exportaes do complexo crescem 152% em fevereiro, para 138,9 mil t
  - Ibovespa recua com cautela antes de Fed e de olho em Previdncia
  - Bolsonaro colhe resultados nos EUA, mas faz concesses generosas
  - Economia cresceu 0,3% em janeiro ante dezembro, aponta o Monitor do PIB
  - Plantio da segunda safra de milho atinge 94% da rea no Paran e produtores esperam boas
  produtividades
  - Plantio da 2a. safra de milho no PR chega a 94% da rea
  - Colheita da soja no PR atinge 72% da rea
19/03/19 - Se EUA querem nosso acar, podem comprar; seno tem quem quer, diz Guedes
Para enviar a notcia, basta preencher o formulrio abaixo.
Todos os campos so de preenchimento obrigatrio!
 
A agricultura puxa a queda da inflao
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatrio:
E-mail destinatrio:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentrio:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa Histria
• Misso, Viso e Objetivos
• Trofu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comits de Gesto
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Comits de Gesto
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Frum de Implementao Tecnolgica
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminrio UDOP de Inovao
Imprensa

• Agncia UDOP de Notcias
• ltimas Notcias
• Frum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mdias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produo Brasileira
Servios

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendrio de Eventos
• Guia de Empresas
• ndice Pluviomtrico
• Pesquisas UDOP
• Previso do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrogrficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados

POLÍTICAS DE PRIVACIDADE
Desenvolvimento:
/