Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Transnordestina deve ter apenas um trecho do interior do Piauí a Pecém
Publicado em 21/07/2021 às 16h38
O governo decidiu levar à frente a construção de apenas um dos dois trechos da ferrovia Transnordestina, o que liga o interior do Piauí, em Elizeu Martins, até o porto de Pecém, no Ceará. Durante Live do Valor, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que, por enquanto, ainda não há viabilidade econômica para fazer a conexão da ferrovia até Porto de Suape, em Pernambuco.

O projeto da Nova Transnordestina foi concebido ainda no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com previsão de conclusão em 2010, as obras da ferrovia sofreram inúmeras interrupções e até hoje não há prazo para entrar em operação. O orçamento do projeto mais do que dobrou. Já foram gastos cerca de R$ 7 bilhões e outro montante equivalente a esse ainda precisaria ser gasto.

"Foi um imbróglio que foi herdado, mais um problema de modelagem. Entendo que as duas ´pernas´ não coexistam. Estou deixando claro para todo mundo que não tem demanda para o ramal de Pernambuco e para o ramal do Ceará", disse Tarcísio.

O ministro explicou que o projeto precisará ter as bases econômicas redefinidas. "É um contrato que, em função de ter uma quantidade grande de obra enterrada, precisa ser redesenhado. O que dedicamos a fazer, até agora, foi esse redesenho, apertar a tecla ´reset´", afirmou.

Segundo ele, o governo tem reconhecido o esforço da concessionária Transnordestina Logística, comandada pela CSN e responsável por construir e operar a ferrovia. Ele contou que a empresa mantém as obras em andamento com praticamente 1.000 trabalhadores em campo, tendo investido R$ 300 milhões somente ano passado. "Tenho que buscar aquilo que também gera um alinhamento de sentidos em relação ao concessionário que está lá", reforçou.

Tarcísio garantiu que poderá cassar o contrato de concessão da Transnordestina -- declarar caducidade -- se houve alguma desconformidade no cumprimento das obrigações acordadas, em prejuízo ao interesse público. "A caducidade já foi aprovada pela agência [ANTT], faltando só a gente declarar", afirmou.

Ele disse que a alternativa de relicitar a ferrovia, para escolher um novo investidor, não está nos planos do governo, pois seria "muito difícil de viabilizar".
Fonte: Revista Ferroviária
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas