Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Com produtividade média de 100 ton/ha, Bevap Bioenergia tem novo CEO e quer expandir plantio e reforma
Publicado em 11/05/2022 às 09h33
Foto Notícia
Com uma produtividade média já superior a maior parte das usinas da região Centro-Sul do Brasil a Bevap Bioenergia, de João Pinheiro, Minas Gerais, associada UDOP, está com um novo CEO, Newton Santana que planeja expandir a produção da unidade a fim de atingir a capacidade máxima de produção da unidade, que é de 4 milhões de toneladas.

Em entrevista exclusiva à Agência UDOP de Notícias, Newton Santana destacou que os desafios da Bevap para esta nova fase é o de "conviver com um mundo em crise econômica e social, afetando commodities, no abastecimento (agroquímicos, combustíveis, etc) e na precificação dos produtos, além dos indicadores econômicos, câmbio e, como todo ano de eleição, com as incertezas inerentes".

Localizada numa região de cerrado mineira, Santana destaca o diferencial da unidade cujo projeto de instalação e concepção já eram incríveis. O novo CEO destaca o legado de quebra de paradigma no desenvolvimento da agricultura na região em que está inserida. A unidade trabalha com 100% dos canaviais irrigados, tanto em cana própria (2/3) como de fornecedores e parceiros (1/3).

"O legado de prêmios nos diferentes setores e resultados financeiros só aumentam minha responsabilidade e determinação para elevar este ótimo patamar já alcançado. A produtividade de um canavial 100% irrigado, nos obriga a trazer resultados ainda maiores", destaca o novo CEO da Bevap.

O objetivo da Bevap é o de atingir a capacidade ociosa da usina hoje, de 1 milhão de toneladas. "Nossa prioridade é expandir a área total de plantio fortalecendo nossa importante aliança com os fornecedores de cana e também atraindo novos".

"A média (de produtividade) tem sido de aproximadamente 100 t/ha. Inferior às nossas pretensões pelo potencial, porém, já positivas em relação à infraestrutura de irrigação existente. Temos e devemos que melhorar os plantios de expansão e reforma, manejo cultural e controle dos sistemas de irrigação", destacou Newton Santana.

Para esta nova temporada, 2022/23, a Bevap Bioenergia planeja processar 3 milhões de toneladas de cana com um mix 60% da cana para açúcar e 40% para etanol, além da produção de 100 mil m³ de etanol, cerca de 240 mil t de açúcar VHP/cristal, e aproximadamente 365 mil MW gerados de bioeletricidade.

Finalizando a entrevista, o novo CEO da Bevap destaca que "hoje a reponsabilidade do CEO vai além da busca contínua por mais competitividade e resultados, gerando valor aos acionistas, colaboradores, parceiros e sociedade. Temos compromissos com ESG, com Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e, principalmente, com o esforço global para combater os fatores de mudanças climáticas. Neste sentido, a Bevap tem papel fundamental porque mais bioenergia e mais sustentabilidade nos levam a maior descarbonização. E este é um ponto que não podemos perder de vista".
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas