União Nacional da Bioenergia

Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Fórum de Articulistas

Produtividade do agro garante a estabilidade econômica - Por: Jacyr Costa Filho
O Brasil fechou a balança comercial do agronegócio de 2023 com o recorde de US$ 146 bilhões, graças ao sustentado crescimento da produtividade da agricultura nos últimos 20 anos.
Publicado em 14/02/2024 às 17h34
Foto Notícia
Terminamos o ano de 2023 com a boa notícia do crescimento do superávit da balança comercial brasileira, alcançando a marca recorde de US$ 99 bilhões, 61% acima do valor verificado no ano anterior. Este resultado deveu-se principalmente às exportações de produtos agrícolas e de petróleo. O agronegócio continua sendo a principal mola propulsora da pauta de exportações brasileira. O saldo comercial do agro alcançou no passado o recorde histórico de US$ 146 bilhões – quarto ano consecutivo em que batemos recordes em superávit nas exportações do agronegócio.

Tivemos um ano com safras excelentes na produção de alimentos, mas o bom desempenho do setor é resultado de um crescente e sustentado aumento de produtividade. De acordo com relatório anual do BTG Pactual sobre a balança comercial, divulgado recentemente, o Brasil foi o país que teve maior crescimento de produtividade globalmente nos últimos 20 anos, acima da China e dos Estados Unidos. Entre 2000 e 2019, a produtividade agrícola brasileira cresceu em média 3,3% ano a ano, enquanto o segundo colocado, a China, cresceu 2,5%, seguida pelo Canadá, com 1,3%, e França e Espanha com 0,9% e 0,8%, segundo o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), citado no relatório do BTG. Não é pouca coisa, se pensarmos nos desafios que o país ainda enfrenta, entre eles a necessidade de maior disponibilidade do seguro rural, de investimentos em logística e da ampliação de novos acordos comerciais.

O agronegócio brasileiro, com a quebra de recordes de produção de grãos e de proteína animal, foi fundamental para atenuar os efeitos da inflação de alimentos em nível mundial – para alguns produtos, observou-se inclusive deflação. O aumento constante dos índices de produtividade apontado pelo USDA deve-se a diversos fatores, principalmente aos investimentos feitos ao longo das duas décadas em tecnologia de equipamentos e insumos, melhor uso da terra, entre outros aspectos, que ajudaram a aumentar a competitividade dos produtores brasileiros e a posicionar o país como o terceiro maior produtor de alimentos do mundo e o maior exportador neste segmento. 

A pergunta natural, ao se analisar a sustentada e crescente elevação da produtividade do agro brasileiro nos últimos 20 anos, é se ainda há espaço para crescer ainda mais. Investimentos em sistemas modernos, como a integração-lavoura-pecuária-floresta (ILPF), que otimiza o uso da terra e melhora as condições de produção pecuária, de forma mais sustentável, e a maior utilização de insumos biológicos são caminhos que ainda têm muito a se desenvolver no Brasil. Projetos como o Programa Nacional de Conversão de Pastagens Degradadas em Áreas Agricultáveis, lançado recentemente pelo MAPA, que tem o ambicioso objetivo de recuperar 40 milhões de hectares de pastagens degradadas, devem propiciar, no futuro, aumento de produtividade na pecuária e maior produção agrícola.

É preciso comemorar estes sucessivos recordes, mas, ao mesmo tempo, olhar para as oportunidades que podem se abrir, principalmente no que se refere à conquista de novos mercados e agregação de valor nas exportações. O Brasil vai continuar a ser o fornecedor confiável de alimentos, para garantir a segurança alimentar do mundo, mesmo em tempos conturbados como os que temos vivido nos últimos anos.
 
Jacyr Costa Filho
Presidente do Cosag - Conselho Superior do Agronegócio da Fiesp e sócio da Consultoria Agroadvice
Fonte: Diário da Região
Fique informado em tempo real! Clique AQUI e entre no canal do Telegram da Agência UDOP de Notícias.
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Últimos Artigos
Foto Articulista
PLÍNIO NASTARI
Brazil moves ahead in sustainable mobility
Publicado em 03/04/2024
Foto Articulista
ARNALDO JARDIM
Paten acelera a transição energética, por Arnaldo Jardim
Publicado em 03/04/2024
Foto Articulista
MARTINHO SEIITI ONO
Biocombustíveis no plano de voo, por Martinho Ono
Publicado em 28/03/2024
Foto Articulista
ANTONIO CESAR SALIBE
Etanol: sobreviver para avançar! - por Antonio Cesar Salibe
Publicado em 27/03/2024